Cotidiano

Seja o Seu Melhor Presente…

presente

Seja o Seu Melhor Presente…

Teve uma época na minha vida que eu acreditava ser hipocrisia das pessoas dizerem só no mês de dezembro que, por conta do “espirito natalino”, desejavam votos de saúde, riqueza e felicidades, sendo que no curso de todos os outros onze meses, não faziam nada disso, muito pelo contrário, praticavam as maiores incongruências possíveis, pouco se importando com o próximo, e mesmo assim, todo final de ano, numa espécie de protocolo “da boa convivência”, entregavam um panetone ou algo similar para tentarem ratificar suas palavras ocas e desprovidas de conteúdo válido! Eu continuo não engolindo direito pessoas assim, pois não é uma cesta de natal ou alguma lembrancinha natalina que revela esse “espírito natalino”! Cartões de natal prontos então, não vou nem comentar. A importância e o sentido disso tudo para mim, é ratificar as práticas JÁ EXECUTADAS como princípio o ano inteiro!

Eu vejo a arrogância de alguns durante onze meses, e quando os vem o Natal, parece que há uma transformação plastificada de fraternidade que dura a fração de um momento, posto que logo no início do ano ela se rompe e desaparece daquele indivíduo como mágica! Como assim? A retidão, a preocupação e cuidados, são tarefas diárias e certas vezes exaustivas mesmo. Escuto pessoas adiarem seus planos “até as festividades passarem”, e aí então se recusam a marcar uma cirurgia, a romper um compromisso ou sociedade, a realizarem mudanças necessárias, porque “não é a hora”. Desculpa, desculpa e desculpa! (daquelas esfarrapadas mesmo). Todo dia é dia para transformar, fazer melhor, reiniciar, romper ou recomeçar. Os votos de dezembro (se sérios) devem ser votos diários, pois a cada final de ano apenas se estabelece uma contagem temporal que para o dia a dia não deveria fazer a menor diferença.

Não acorde tardiamente… Almeje lindamente todos os dias! Esperar pelo Natal, ou esperar por algo ou alguém sem produzir, não cria o dinamismo necessário para que as coisas aconteçam de fato! Uma amiga me lançou um desafio em setembro e eu inicialmente retruquei “o ano já está no fim” e ao me ouvir confesso que senti vergonha de mim. Engoli as palavras e aceitei, pois se não aceitasse meu discurso estaria descolado da prática. Sou feliz e grata por ter aceito e “casado” a prática com a teoria que acredito. Protelar uma decisão porque é festa, parece-me a forma mais feroz de adiamento, pois o único enganado novamente é a própria pessoa! E se essa época trouxer alguma melancolia, encare-a de forma lúdica, e lembre-se sempre que somos seres ricos e infinitamente capazes de “suportar” as adversidades diárias!

Seja o seu melhor presente!

Um grande beijo em todos, e que o despertar de cada dia traga sempre uma chama de esperança e um voto de confiança no próximo!

Só há duas maneiras de viver a vida: a primeira é vivê-la como se os milagres não existissem. A segunda é vivê-la como se tudo fosse milagre.  Albert Einstein

Avatar

Ana Luiza Alves Lima

Nascida em Santos, São Paulo, Brasil. Advogada e Consultora na Gestão de Pessoas em São Paulo – SP, Brasil. Formação: Bacharel em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de Santos (UniSantos-SP); Pós-graduado em Gestão de Seguros (Fundação Getúlio Vargas – FGV-SP); Consultora do Serviço Nacional do Comércio (SENAC para cursos livres e de pós graduação) e Administração de Recursos Humanos, pelo SENAC/SP. Membro da Ordem dos Advogados do Brasil, Secção de São Paulo e da Associação dos Advogados de São Paulo.

Deixe seu comentário

Clique aqui para publicar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.