Carreira Estratégia

A Estratégia Precisa de Visão Ampla

Prof. Dr. Carlos Eugênio Friedrich Barreto

Mesmo a empresa plenamente satisfeita com seu desempenho, em algum momento, ela vai necessitar pensar uma estratégia, queira ela buscar novos rumos, ou permanecer onde está. Isso, porque os seus competidores estão, constantemente, criando e implementando estratégias, gerando movimentos que podem alterar a situação.

Grande parte da estratégia implica enxergar o ambiente de maneira ampla, no médio e sobretudo longo prazo. Ou seja, é necessário ver além da rotina diária do negócio. Muitas vezes a empresa age sem muita clareza e até consegue relativo sucesso, contudo, isso pode não ser duradouro, lhe faltam informações conhecimento e ações consistentes e coerentes. Mas, uma estratégia que reúna recursos, capacidades e competências essenciais poderá lhe conduzir por um caminho mais adequado rumo aos seus objetivos. Uma estratégia também compreende identificar, criar e entregar valor singular e/ou superior à concorrência com sustentabilidade. Importante entender que valor e lucro não andam juntos, necessariamente. Gestão competente é fundamental para viabilizar qualquer estratégia, por melhor que ela seja.

Nunca, uma estratégia estará completa e acabada. A dinâmica do ambiente de negócios não lhe permite isso. Adaptar-se e dar respostas a esse sistema aberto, vivo e em constante evolução, chamado mercado, é condição básica à sobrevivência de qualquer empresa. Portanto, adequar corretamente seus projetos de produtos e serviços a esse imperativo é a chave para o sucesso de uma estratégia.

Agora, voltando à necessidade de avaliação ampla do ambiente e visão de longo prazo para concepção da estratégia, podemos citar, por exemplo – o surgimento do Twitter, fruto de um brainstorming sobre uma apreciação ampla do ambiente, buscando o futuro. Em determinado momento, um grupo de funcionários de uma empresa de podcasts passou um tempo pensando sobre estratégia e como sobreviver à forte concorrência da Apple. Surgiu, então, a ideia de um serviço de SMS. Quatro anos mais tarde, eles tinham mais de 200 milhões de usuários e a empresa avaliada na casa dos bilhões de dólares. O sucesso do Twitter ocorreu porque o grupo pensou além da rotina do negócio de uma empresa de podcasts. (McKEOWN, 2013).

A Apple é outro bom exemplo, após amargar uma década de dificuldades, em 1995, Steve Jobs, um dos fundadores, retorna à empresa e lhe imprime uma nova visão para o negócio. A Apple passou a investir em outros setores da informática. Depois de lançar o iMac e o PowerBook, em 1998, foi a vez de a Apple investir na música, criando os consagrados players iPod e iTunes em 2001. Nos anos 2000, o sucesso continua, foi a vez de investir em outra nova área, dessa vez a telefonia, lança o iPhone, em 2007, um smartphone touchscreen capaz de unir praticamente todas as funcionalidades desenvolvidas até então. Em 2010, entra no atraente mercado dos tablets, com o lançamento do iPad, mais um sucesso de vendas.

Olhar para fora da sua empresa e enxergar além do seu setor, vislumbrando o futuro é uma parte importante do quadro global. Só assim, o estrategista consegue identificar tendências e oportunidades para sua empresa. Desenvolver essa habilidade lhe permite ver aquilo que os outros não conseguem enxergar.

Palavras-chave: Estratégia. Tendência. Mercado. Avaliação ampla.

Referências Bibliográficas

McKEOWN, Max. Estratégia: do planejamento à execução. São Paulo: HSM Editora, 2013.

http://www.novidadesdeinformatica.com.br/tecnologia/apple-conhecasua-historia. Acesso em 15 jul 2014.