Ética Eventos Liderança Mentoring

A diferença Salarial entre Homens e mulheres.

No dia 24 de outubro de 2018 fui convidada para participar do Evento “Equidade de Gênero: perspectiva do Brasil e do Reino Unido sobre a mulher no mercado de trabalho”, realizado pela Britcham Brasil (The British Chamber of Commerce and Industry in Brazil) e organizado pelo Comitê de Capital Humano da Câmara Britânica, sob responsabilidade da Presidente Profa. Dra. Ana Paula Morgado.

Ana Paula Morgado é Diretora da Manchester University para a América do Sul e é colaboradora voluntária da Página de Empoderamento Feminino da Arbache Innovations (https://arbache.com/mundomelhor/empoderamento). Andrea Silvério, também colaboradora voluntária da Página Mundo Melhor, esteve presente.

Na ocasião, as palestras abordaram aspectos históricos relativos aos temas: a questão da diferença salarial entre homens e mulheres, bem como casos de empresas brasileiras e britânicas a respeito de políticas de equidade de gêneros nesses contextos. Nesse primeiro texto trataremos da primeira palestra ministrada no evento. Nós estaremos publicando 4 artigos referentes aos conteúdos dessas palestras, o primeiro segue abaixo.

A Diferença salarial entre homens e mulheres: perspectiva do Reino Unido

Foi abordada por Morgado aspectos como, os desafios do mercado de trabalho que envolvem a carreira feminina foram tratados, abordando as questões sobre as oportunidades de entrada no mesmo, desafios ligados a promoção e ascensão de carreira, a maternidade e a conciliação com a vida profissional, remuneração e a presença da mulher em espaços de poder.

A questão salarial é, para Morgado, apenas a ponta do “iceberg”, uma vez que existem diferentes modos de se estudar este ponto, bem como diferentes modelos de remuneração e trabalho, como é o caso do trabalho de tempo parcial.

O mais importante na discussão é “olhar o problema na sua essência”, há uma questão estrutural que precisa ser entendida e vai muito além dos números. Para Morgado o debate de hoje irá nutrir gerações futuras, pois não é para nós! No decorrer de sua fala, Ana Paula apresentou um vídeo da pesquisadora Britânica  Jill Rubery, que tem como foco de seus interesses e estudos as “disparidades entre os salários de homens e mulheres “The  gender pay gap”. Rubery aponta que são várias as dimensões que devem ser levadas em consideração quando tratamos da temática, como por exemplo:

  • Mulheres que ganham mais e homens que ganham menos nos últimos tempos, uma vez que, em períodos de crises, muitos homens deixaram de receber altos salários, isso “encurta” a distância entre o menor e o maior salário.
  • Mulheres que estão estagnadas em posições do mercado.
  • A jornada de trabalho (parcial ou integral).
  • A definição de cada salário em cada empresa.
  • Perspectivas de crescimento, ou não, da mulher em alguns espaços do mercado de trabalho.
  • Os acordos coletivos e os arranjos e formas de trabalho.
  • Licença parental – da mãe e do pai.
  • Subsídios para creche.
  • Mentoria para crescimento na carreira.
  • Políticas que devem ser combinadas para promover um mercado de trabalho inclusivo e com políticas de igualdade.
  • A incorporação das políticas acima nas cadeias produtivas, entre outras.
  • As novas formas de trabalho trazidas pela quarta revolução industrial.

No Reino Unido a distância salarial entre homens e mulheres, é de 18% conforme pesquisa da OCDE apresentada por Morgado. A partir de 2017, as empresas acima de 250 colaboradores, devem reportar os números salariais para prover maior transparência ao público. Para Ruberry, é preciso muita maturidade para tratar os dados provenientes dessa transparência. A pesquisadora aponta que é preciso fortalecer a integração das ações em prol a temática. Essa não é uma discussão nova, mas está distante de chegar ao seu objetivo, por isso é preciso maior empenho para que as novas gerações possam ter um mercado de trabalho mais inclusivo e pautado na igualdade. No Reino Unido, estima-se que será preciso mais 70 anos para que isso aconteça!

Ana Paula Arbache

Ana Paula Arbache

Pós-doutora em Educação pela PUC/SP. Doutora em Educação/PUC-SP. Mestre em Educação/ UFRJ. Certificada pelo MIT- Challenges of Leadership in Teams. Docente MBA e Pós MBA da FGV. Sócia Arbache Innovations, Plataforma de Mentoring Arbache.Palestrante em encontros nacionais e internacionais.

Deixe seu comentário

Clique aqui para publicar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.