Gestão de Pessoas

Como É Fácil Julgar

julgar

Conta-se uma história que um senhor estava sentado com seu filho dentro de um trem pronto para partir da estação Gare Du Nord em Paris. Assim que o trem partiu, seu filho se encheu de alegria e curiosidade. Ele estava sentado do lado da janela. Ele colocou um braço para fora e começou a sentir a força do vento. Ele disse: “Papai, sinta só como o vento empurra.” O velho Senhor apenas sorriu. Como o rapaz falava alto, todos podiam ouvir seus comentários.

Não passou nem mais um pouco, o jovem fez outro comentário: “Papai, olhe só as nuvens. Elas se movem. E olhe só no campo, os bois – eu sei que são bois pelo mugido”. O pessoal ao lado começou a ficar numa situação desconfortável porque esses comentários eram de um rapaz com uns 20 anos de idade, mas que estava se comportando como uma criança.

De repente ouviu-se um trovão forte e começou a chover. O pai pediu ao filho para fechar a janela. Mas o rapaz colocou a cabeça para fora a fim de sentir a chuva no rosto.

Finalmente, um casal que estava sentado no banco de trás não mais se conteve e falou para o pai do rapaz: “Meu Senhor, por que é que o senhor não leva seu filho a um médico para que ele receba um tratamento”.

O pai lhes respondeu: “Sim, foi isso mesmo que eu fiz. Estamos voltando de Paris para casa muito felizes porque meu filho fez uma cirurgia nos olhos e retiraram agora há pouco o tampão de seus olhos. Meu filho está vendo as coisas hoje pela primeira vez na vida”.

Moral: “Não tire nenhuma conclusão sem antes saber o que está por trás”.