Carreira da Mulher

Mulheres e Carreira: Qual o Caminho Para o Sucesso? O Coaching e o Aconselhamento de Carreira Para Mulheres Bem Sucedidas

mulheres

Em recentes sessões de coaching  e aconselhamento de carreira obtive os seguintes depoimentos de uma profissional:

“Eu estou angustiada, quero seguir com os meus estudos em uma pós-graduação, mas preciso ajudar o meu parceiro a construir nosso patrimônio, vou ter que parar de estudar e trabalhar onde eu não quero”! [Processo de coaching, coachee A, 2013]

“Não sei como você consegue ser mãe e ainda ter uma vida profissional bem encaminhada, acho que vou ter que parar de trabalhar para ter meu filho. Eu fico louca só de pensar, não sei como vou fazer, pois meu marido já está cobrando isto!” [Processo de Aconselhamento de carreira, Profissional de média gerência, 2013]

“Eu estou recém-casada e já fiz um pacto com meu parceiro, não discutiremos a nossa vida conjugal até eu conseguir chegar ao cargo que eu quero, até lá, preciso de tempo e não posso brincar de dona-de-casa e mãe de família”. [Processo de Coaching, coachee B, 2013]

O que é um ponto de sutura entre estes depoimentos e nos chama a atenção, não é o conflito já expresso entre vida profissional e vida pessoal na vida de uma mulher, mas a forma incisiva e de aceitação, de que os dois mundos devem caminhar separados! O impressionante é que virou “imaginário coletivo”, que a carreira da mulher deve ser dissociada da sua vida familiar e que, ela sozinha, tem que dar conta de duas metas muito complexas: ser uma boa profissional e se firmar em sua área de trabalho e ser uma mãe exemplar criando filhos devidamente saudáveis física e mentalmente. Não obstante a estas duas metas, ainda deve satisfazer o seu parceiro, ou sua parceira amorosa. É tudo ao mesmo e tempo agora!

No entanto, esqueceram de avisar para a maioria dessas mulheres, que não é preciso levar ás ultimas consequências este desafio, separando mundos que são indissociáveis. Também esqueceram de lembrar que existem mulheres e profissionais que gerenciam carreira e vida familiar, sem contudo abrir mão de nenhuma delas.

O que é preciso é limpar, despoluir a mente de algumas profissionais e trazer clareza para suas trajetórias de vida. Ao deparar com depoimentos tão ácidos como os acima revelados, vejo que é cada vez mais demandante o processo de acompanhamento profissional, seja por um processo de coaching com o estabelecimento de metas de curto, médio e longo prazos, como também um bom aconselhamento de carreira, mapeando as melhores oportunidades e as ferramentas necessárias, para suportar um processo de acesso, ou de recolocação no mercado.

Tanto o coaching, como o aconselhamento, devem ser realizados por profissionais, que possuem muito claro o que é conciliar vida profissional e vida familiar. O que venho notando com minhas coachees e alunas dos MBAs os quais leciono, que chegam até a  mim e fazem depoimentos como os acima apresentados, o que elas mais querem é alguém que, viveu ou vive situações semelhantes, mas que possam trazer lições aprendidas e pistas que as mesmas “customizar” em suas vidas. O que faz com que eu escute tais depoimentos é o  “elo identitário” que estabeleço com estas profissionais. É a capacidade de fazer com que a “outra pessoa” possa enxergar em você, algo que possa lhe gerar confiança, credibilidade e reconhecimento, sendo estes valores primordiais para um processo mútuo de crescimento humano.

Ana Paula Arbache.