Você Sabia?

Você Sabia? Como Descobrir Que Você Está Acomodado Com Sua Carreira?

acomodado

“Eu não sabia o quanto eu estava acomodada com a situação – por mim ficaria mais 20 anos do mesmo jeito! Não fico feliz em pensar assim, eu estou sabotando o meu tempo e a minha juventude, eu preciso mudar!” [Aluna X, MBA, 2013]

Uma aluna chegou em uma das aulas de um Curso de MBA, que já cursava a cerca de um ano e relatou que estava no Curso de MBA errado. Aquele curso não tinha nada que ela poderia aproveitar no trabalho cotidiano dela e, ela só não desistia do curso, pois já havia investido muito dinheiro e tempo e ela queria o diploma dela nas mãos! Com o curso encerrado, ela voltaria a rotina anterior, sem agregar nenhum dos conhecimentos que estudara no MBA.

Após alguns questionamentos mais amplos a respeito da vida profissional dela, perguntei-lhe diretamente: Onde você quer estar daqui a dois anos? Qual é a sua meta? Ela respondeu que já havia chegado onde queria, aos 28 anos já estava em um cargo significativo e respondia a uma liderança que reconhecia o trabalho dela, e, no caso da empresa, não havia cargo verticalmente superior ao dela, a não ser, o do chefe dela.

Então refleti com a aluna: Você chegou ao “teto” de carreira nesta empresa, assim ficará por quanto tempo mais? Será que o mercado não possui outras oportunidades que poderão fazer de você uma profissional mais robusta, com capacidade de transitar em um cenário intercultural e oferecer pacotes de entregáveis, que possam corresponder aos processos que conhecimentos que você absorveu em seu curso de MBA? Não seria interessante estar preparada para assumir novas possibilidades e agregar valor portfólio pessoal?

A  aluna ficou quieta, reflexiva e, após um tempo, respondeu: “Eu não sabia o quanto eu estava acomodada com a situação – por mim ficaria mais 20 anos do mesmo jeito! Não fico feliz em pensar assim, eu estou sabotando o meu tempo e a minha juventude, eu preciso mudar!”

O interessante nesse caso é que a aluna não estava “parada”, ela estava em um processo de aperfeiçoamento, iria sair com um diploma que agregaria valor ao currículo, mas, pararia por aí! O processo de crescimento profissional ficaria estagnado, não haveria desdobramentos, novas conquistas, entregáveis mais robustos – tudo estaria do lado de fora da CAIXA da qual ela fazia parte!

A gestão de uma carreira é algo contínuo, uma ação deve gerar novos desdobramentos, resultados que, em seguida serão alavanca para novas ações – e assim gera um ciclo virtuoso – somente o profissional que possui uma meta de carreira e um mapa pode ter a visão de longo prazo que é preciso ter para poder chegar onde se quer chegar!

Ana Paula Arbache

Ana Paula Arbache

Pós-doutora em Educação pela PUC/SP. Doutora em Educação/PUC-SP. Mestre em Educação/ UFRJ. Certificada pelo MIT- Challenges of Leadership in Teams. Docente MBA e Pós MBA da FGV. Sócia Arbache Innovations, Plataforma de Mentoring Arbache.Palestrante em encontros nacionais e internacionais.

Deixe seu comentário

Clique aqui para publicar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.