Sustentabilidade

Sorria Este Produto Consome Menos Energia. O Marketing Em Favor Da Sustentabilidade

energia

Por Denise Mota

LÂMPADA EM FORMATO DE “SMILE”, O SELO DA PROCEL AJUDOU A ECONOMIZAR SEIS BILHÕES DE KWH

O segredo para extrair de eletrodomésticos o máximo de desempenho gastando o mínimo está em medidas simples. Isso é importante: um ar-condicionado, por exemplo, chega a ser responsável por até um terço do gasto total de energia em uma casa no verão.

Uma medida é procurar usar os aparelhos fora do horário de pico (entre 18h e 21h). Outra, comprar produtos com o selo Procel, cujo objetivo é indicar ao consumidor o nível de eficiência energética da mercadoria que está adquirindo.

 “Cada vez mais a sociedade está procurando por eletrodomésticos eficientes do ponto de vista energético, porque eles auxiliam na preservação ambiental e são mais econômicos”, afirma Emerson Salvador, que é chefe da divisão de Eficiência Energética da Eletrobras, executora do Procel (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica)

Mais de 3.700 modelos de duas centenas de marcas já passaram por testes de desempenho e segurança elétrica em laboratório para receber o selo Procel.

 São análises realizadas por laboratórios indicados pelo programa, como o Instituto de Eletrotécnica e Energia da USP ou o Laboratório de Luminotécnica da Universidade Federal Fluminense.

 Os mais eficientes ganham etiqueta caracterizada por lâmpada em forma de “smile” e a inscrição “este produto consome menos energia”.

 Quase sempre, ter o selo significa constar da faixa A da etiqueta de eficiência energética elaborada pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial).

 Afixada ao eletrodoméstico, a tabela indica seu rendimento e consumo. A classificação varia de A, para os aparelhos mais eficientes, a G, aqueles que têm pior desempenho.

Outros três eletrodomésticos devem fazer parte da lista, em 2012: ferro elétrico, micro-ondas e ventilador de mesa. No caso do micro-ondas, a Eletrobras estuda analisar o gasto de energia do aparelho em funcionamento e em modo stand by.

DIFERENCIAL DE SE TER UM SELO PROCEL COM BOM DESEMPENHO

 O distintivo é um diferencial para as marcas, o que impulsiona os fabricantes a procurar se adequar aos parâmetros do Procel.

 De acordo com Salvador, no ano passado, 6 bilhões de kWh de energia foram economizados por conta da aplicação do selo, que também evitou a emissão de gases poluentes, correspondentes aos que são desprendidos por 108 mil veículos/ano.

 “Os selos de eficiência energética fazem parte dos critérios da Electrolux para o desenvolvimento de produto, que se inicia na pesquisa com o consumidor e vai até os processos de engenharia ao adaptar tecnologias para alcançar os índices de eficiência”, afirma Rafael Bonjorno, gerente de marketing.

 A multinacional, que possui selo Procel em refrigeradores e lavadoras, desenvolve os programas Green Spirit-Conceito de Desenvolvimento Sustentável, no processo produtivo, e Green Range, cujo objetivo é criar produtos “que proporcionem alta eficiência energética e economia de água”, diz Bonjorno.

 Para que uma máquina de lavar roupa automática receba o selo, além de ter consumo de energia na faixa A da tabela do Inmetro, seu gasto de água deve ser menor ou igual a 15,10 litros/ciclo/kg.

 Se o produto for um condicionador de ar de janela com capacidade de refrigeração nominal de 12.000 BTU/h, seu consumo de energia anual não pode superar os 806,592 kWh/ano.

 No caso de TVs de plasma, o máximo de gasto permitido em stand by é 1 watt.

 “A Samsung desenvolve todas as suas TVs em laboratório. Trabalhamos em conjunto com o nosso departamento de pesquisa e desenvolvimento na Coreia do Sul, com metas de consumo estabelecidas pelo Procel”, diz Rafael Cintra, gerente sênior da área de televisores da empresa, contemplada com o selo em sua linha de TVs.

 Segundo o executivo, outra iniciativa importante para a redução do gasto de energia é a ampliação do portfólio de TVs de LED, que consomem em média 50% menos que os aparelhos de LCD e plasma.