Geral

Tomada de decisão de precisão para contratação e desenvolvimento de talentos no século XXI: gamification e People Analytics como aliadas

Imagine que você precise de uma equipe preparada para responder as metas indicadas pela empresa, no entanto, olhando o seu portfólio de talentos, você sabe que terá que contar com muito mais do que a sorte para atingi-las. Por mais que você atue para levar o time para o resultado esperado, já é certo que não conseguirá e isso pode fazer você perder o seu emprego, ou deixar a área que você atua em uma situação bastante delicada.

Essa situação vem acontecendo muito mais do que pensamos. Primeiro porque as empresas estão tendo que enfrentar a competitividade global e o ambiente de negócios está altamente sensível, buscando respostas velozes e assertivas das empresas. Segundo, as transformações tecnológicas e disruptivas não perdoam, elas literalmente disrompem negócios maduros e transformam a realidade, a partir de negócios exponenciais (as chamadas EXOs – Organizações Exponenciais). Terceiro, as empresas além de enfrentarem o cenário externo, também estão enfrentando o cenário interno, enviesado pelas decisões do legislativo em relação as reformas importantes que afetarão o campo social, político e econômico. Quarto, ainda não temos um portifólio de talentos disponível, preparado para atuar nesse contexto, cujas competências estão mais para o mundo no século XX, do que para o século XXI e o mundo VICA (volátil, incerto, complexo e ambíguo). Pelo exposto, não é aconselhável desconhecer esses fatores que, com certeza, irão deixa-lo mais distante, ou mais próximo de atingir os objetivos demandados pela empresa.

Para garantir mais assertividade e precisão, empresas estão recorrendo às novas tecnologias para buscar no mercado talentos que possam dar a “tração” necessária para o atingimento das demandas e metas requeridas para viver e sobreviver no mundo VICA.

Além de buscar o talento certo para a posição certa, parte dessas tecnologias também tem a função de gerar inteligência para o gerenciamento dos talentos ao longo do seu ciclo de vida na empresa, podendo favorecer processos de progressão assertivos, engajamento do time e, por conseguinte, resultados positivos para toda a empresa.

Em recente processo de mapeamento do grau de dominância de competências comportamentais para o mundo VICA, foi possível evidenciar dois tipos de candidatos com perfis que valem a nossa análise.

A tecnologia utilizada para a captação dos dados no processo de recrutamento e seleção dos talentos foi o MOBI People (Arbache Innovations), esse game mapeia o grau de dominância de até 180 comportamentos, escolhidos e relacionados às competências comportamentais demandadas pela empresa contratante. A partir dos resultados dos games dos candidatos, são gerados relatórios individuais e o gestor poderá analisar, dentro do “painel do gestor” (local onde fica consolidada a inteligência de todo o processo), aqueles candidatos que tiveram maior performance em cada comportamento, ou conjunto de comportamentos por competências, dessa maneira poderá “compor” a melhor equipe, a partir de dados de precisão extraídos do painel.

Vale considerar nas figuras abaixo, o mapeamento dos eixos comportamentais. Quanto mais externa é a marcação da linha, maior o grau de dominância na competência mapeada, em contrapartida, quanto mais interna é a marcação da linha, menor é o grau de dominância apresentado pelo candidato.

Nessa simulação é possível verificar, com a precisão dos dados, aquele profissional que estará mais próximo ao atingimento das metas da empresa e auxiliará no enfrentamento dos desafios trazidos pelo século XXI. Também, a partir da precisão dos dados, é possível, promover desenvolvimento profissional, focado nos eixos que merecem maior atenção e na alavancagem daqueles que já sinalizam maior performance. Desse modo, a empresa poderá ter maior retorno para os investimentos relativos a área de gestão de talentos, a partir da customização dos treinamentos e capacitações. Nesse caso, o profissional terá um processo de desenvolvimento preciso, o que favorecerá o seu maior engajamento e, com isso a sua produtividade.

Candidato 1


Fonte: Relatório do Game MOBI PEOPLE (Arbache Innovations – 2019)

Candidato 2


Fonte: Relatório do Game MOBI PEOPLE (Arbache Innovations – 2019)

Candidato 3


Fonte: Relatório do Game MOBI PEOPLE (Arbache Innovations – 2019)

Esse é um exemplo simples das análises que podem ser feitas no processo de recrutamento e seleção de talentos, a partir de ferramenta gamificada por meio de storytelling e inteligência artificial. No entanto, para líderes e profissionais da área de gestão de talentos, o grande valor dessas ferramentas é gerar um repositório dinâmico de dados, para ter maior precisão nas tomadas de decisões e criar uma “pegada digital” para a área de gestão de pessoas e/ou recursos humanos, cada vez mais estratégica. É dessa maneira que irá gerar valor e agregar inteligência nas empresas onde atuam.

Conforme abordado anteriormente, as demandas para o século XXI impõem a busca e a contratação de talentos capazes de responder rapidamente a essas demandas. Os líderes e gestores da área de captação e contratação de talentos que não estiverem aderentes e preparados para essa tarefa, estarão confinados às práticas do século XX, e muitas delas não darão sustentação para as empresas sobreviverem aos desafios do mundo VICA.

A Arbache Innovations juntamente com o ISAE Inova, já oferece um dos maiores Programas de Inovação para o Cooperativismo, tendo a gamificação e o People analytics como aliados para compor e desenvolver talentos e times de alta performance em inovação e criação de cultura organizacional de alta tração inovadora, para mais de 70 instituições no Brasil. Para aqueles que querem conhecer o Programa segue o link do mesmo: https://arbache.com/inovacoop/.

Referências Bibliográficas:

ARBACHE, Ana. Tópicos especiais: a produção dos alunos do curso Master Business Administration Executivo em Economia e Gestão: Recursos Humanos. In: ARBACHE, P. A.; DUTRA, D. A. RECURSOS HUMANOS transformando pela gestão. FGV Editora.

ISMAIL, Salim, MALONE, Michael, VAN GEEST, Yuri. Organizações exponenciais. São Paulo: HSM, 2015.

Ana Paula Arbache

Ana Paula Arbache

Pós-doutora em Educação pela PUC/SP. Doutora em Educação pela PUC-SP. Mestre em Educação pela UFRJ. Certificada pelo Massachusetts Institute of Technology/MIT- Challenges of Leadership in Teams (2015), Leading Innovative Teams (2018). Docente dos cursos de MBA e Pós MBA da Fundação Getúlio Vargas. Orientadora e avaliadora de trabalhos de pós-graduação. Sócia Diretora da Arbache Innovtions, responsável pelas ações de Gestão de Pessoas, Liderança, Governança Corporativa, Sustentabilidade Ética, Social e Ambiental e Elaboração e Aplicação Jogos de Negócios. Pesquisadora e autora das obras: A Educação de Jovens e Adultos Numa Perspectiva Multicultural Crítica (2001), Projetos Sustentáveis Estudos e Práticas Brasileiras (2010), Projetos Sustentáveis: Estudos e Práticas Brasileiras II (2011), Sustentabilidade Empresarial no Brasil: Cenários e Projetos (2012), A crise e o impacto na carreira (2015), O RH Transformando a Gestão – Org. (2018). Certificação em Coaching e Mentoring de Carreira para Executivos. Mentora do Capítulo PMI/SP. Curadora e Colunista do blog arbache.com/blog e Página Mundo Melhor de Empoderamento Feminino Arbache innovations. Fundadora do Coletivo HubMulheres. Palestrante em encontros nacionais e internacionais.

Deixe seu comentário

Clique aqui para publicar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.