Mentoring

O preparo para a ação em curto prazo

Segundo artigo de  Letícia Arcoverde , publicado no Jornal Valor Econômico¹ em 05/10/2017, a crise tem levado altos executivos, pela necessidade de entregar resultados em curto prazo, a buscarem inovações de processo e um foco maior na gestão operacional. Segundo a autora esta informação foi fruto de pesquisa realizada pela BMI, com 103 executivos sendo, a maioria, de empresas com faturamento acima de R$ 1 bilhão.

Arcoverde conclui seu artigo informando que, segundo a BMI, caiu de 73% para 60% dos entrevistados que dizem conseguir resolver o conflito entre necessidade de curto e longo prazo procurando um equilíbrio entre os dois cenários. Cerca de um quarto dos respondentes citam a necessidade de um planejamento estratégico para resolver essas questões.

Ficamos então, diante de um dilema. Sabemos da importância de um planejamento  estratégico bem elaborado que defina claramente os objetivos  da empresa. O mercado não lhe dará chance e o tempo necessário para migrar do estratégico para o operacional e vice-versa de acordo com a demanda. A visão de futuro e o operacional deverão andar lado-a-lado. Os profissionais deverão estar preparados para lidar com esta tendência. A entrega do resultado não pode ser deixada em segundo plano e a estratégia para que a empresa consiga alavancar nas oportunidades e neutralizar as ameaças não deve ser esquecida.

Somente profissionais de visão mais ampla conseguirão conciliar estas atividades . Esta poderá ser uma tendência , uma forma de gestão imposta pela crise. Os novos tempos, as novas tendências.

Atrelados a esta necessidade de conciliação, não podemos deixar de considerar aspectos que serão determinantes para o sucesso desta tendência, o profissional de gestão deverá apresentar, no mínimo, as seguintes competências, habilidades e atitudes:

  • Foco em resultados;
  • Proatividade e orientação para ação;
  • Desenvolvimento de comportamentos positivos;
  • Poder de influencia;
  • Habilidades para elevar a motivação;
  • Competência para promover mudanças sustentáveis;
  • Desenvolvimento do capital humano;
  • Definição de metas;
  • Objetivos contundentes;
  • Identificação dos pontos fortes e pontos a melhorar;
  • Capacidade de perceber as oportunidades do mercado para alavancar a empresa;
  • Capacidade de perceber as ameaças impostas pelo mercado para neutralizar o impactos negativos  na empresa;
  • Compromisso com a ética e responsabilidade social;
  • Comprometimento;
  • Clareza;

Estes são alguns dos aspectos essenciais que devem ser desenvolvidos e estar presentes para o sucesso desta tendência de maior foco na gestão operacional e entrega mais rápida de resultados

Existem ferramentas e processos comprovados cientificamente que, uma vez aplicados em conjunto com um profissional habilitado, ajudarão a liderança empresarial e demais profissionais na obtenção/consolidação  destes aspectos.

Estamos falando de Coaching, Mentoring, Counselling. Saiba que crenças limitantes e a auto-sabotagem são os vilões que devem ser “varridos” de sua trajetória profissional.

Conheça um pouco mais, acesse a Plataforma Mentoring da Arbache Innovations.

 


  1. ARCOVERDE, Leticia, Nos planos dos executivos, curto prazo vence o longo, Jornal Valor Econômico, 05/10/2017.

 

 

 

Avatar

Luiz Manoel Chiara

Luiz Manoel Chiara é consultor, Auditor da Qualidade, Coach e Mentor possui 35 anos de experiência nas áreas de Qualidade , Comercial , Marketing, Gestão Empresarial, Governança em Empresas Familiares, Sucessões empresarias. Mestrando em Direção Estratégica de Empresas Familiares pela Universidad Europea – Espanha. Perito Judicial. Foco nas áreas de Desenvolvimento Humano, Planejamento de Carreiras ,Planejamento Estratégico e Negociação Empresarial. Atuação nos segmentos: Naval, Petróleo, Engenharia Biomédica, Hospitalar e Indústria automobilística.

Deixe seu comentário

Clique aqui para publicar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.