Geral

O futuro do trabalho

Em 2025, a força de trabalho estará dividida entre seres humanos, robôs e algoritmos.

O Fórum Econômico de Davos (RATCHEVA et. al., 2020) apresentou um relatório que prevê que até 2025 teremos uma significativa presença de robôs e algoritmos entregando horas-trabalho em diferentes setores. A pesquisa revela que a taxa de automação no mundo do trabalho será a seguinte: 48% das horas-trabalho ficarão por conta dos seres humanos e o restante, 52%, dos robôs e algoritmos.

No entanto, cabe ressaltar que isso já está acontecendo em um movimento crescente, como mostra a figura abaixo.

Figura 1 Divisão do Trabalho

Fonte: (RATCHEVA et. al. ,2020)

Especialistas e organizações que têm em seu foco os estudos e trabalhos voltados para a economia global alertam que é preciso antecipar e indicar para o mercado quais são as capacitações necessárias para os seres humanos “competirem” no mercado de trabalho do futuro. Esses diferentes agentes apresentam que há lacunas de qualificação em determinadas áreas e carência de formação e treinamentos voltados para o aprendizado das novas tecnologias trazidas pela Revolução 4.0.  Os profissionais que quiserem estar aptos para preencher os 133 milhões de postos de trabalho criados nessa nova era terão que se adaptar e se preparar para isso.

Quadro 1: Postos de trabalho 

Para dar conta dessas novas demandas, os documentos mostram que haverá três vezes mais treinamentos na área de inteligência artificial na Europa nos próximos anos. Eles alertam também que o impacto da automação sobre os trabalhadores será significativo.

Não há muito tempo para tracionar na direção das novas competências, pois o deslocamento do emprego e a rápida evolução das tecnologias pedem uma reação expressiva de governos, instituições e dos próprios profissionais em relação à qualificação. Essas mudanças abruptas chegarão em diferentes setores, e é preciso criar estratégias para que os empregos para os seres humanos sejam mantidos em alguma medida.

Gráfico 1: Impacto por setor

Tabela

Descrição gerada automaticamente

Os números acima indicam, em alguns setores, uma taxa de ocupação de automação de quase metade dos postos de trabalho. A adoção de robôs estacionários e terrestres não-humanoides impactará os setores relacionados à cadeia de suprimentos e às indústrias automotiva e aeroespacial. Outro setor impactado será o de óleo e gás, que sofrerá mudanças importantes com a metade das horas-trabalho entregues por robôs aéreos e subaquáticos.

Certamente teremos que pensar não só na presença dos robôs nesses ambientes, mas em como eles mudarão os procedimentos e rotinas a uma determinada ação ou processo. Isso demandará dos profissionais competências que lhes tornem capazes de lidar com esse novo cenário.

É preciso considerar as circunstâncias que nos convidam a levar em conta essas transformações e inovações para a condução de nossa carreira e nossas organizações. A chegada cada vez maior de robôs e algoritmos nas operações nos instiga a refletir rapidamente sobre o que precisamos para entrar ou nos manter no mercado de trabalho. É óbvio que não ficaremos ilesos a essas mudanças, no entanto temos a oportunidade de nos antecipar e planejar para que possamos estar atrativos para compartilhar nossa rotina profissional com os robôs e os algoritmos.

Quer fazer uma simulação para saber se está preparado para o futuro? Realize os assessments gamificados “Mobi People – Profissional do Futuro” e “Mobi People – Líder 4.0”, da Arbache Innovations. Descubra o seu grau de dominância das competências demandadas para o profissional destes novos tempos. Acesse https://Arbache.com/blog e antecipe o seu futuro!

Fonte: RATCHEVA, Vesselina, LEOPOLD, Till. World Economic Forum. 5 things to know about the future of jobs.  In: https://www.weforum.org/agenda/2018/09/future-of-jobs-2018-things-to-know/.  Acesso em 06/10/2020

Ana Paula Arbache

Ana Paula Arbache

Pós-doutora em Educação pela PUC/SP. Doutora em Educação pela PUC-SP. Mestre em Educação pela UFRJ. Certificada pelo Massachusetts Institute of Technology/MIT- Challenges of Leadership in Teams (2015), Leading Innovative Teams (2018). Docente dos cursos de MBA e Pós MBA da Fundação Getúlio Vargas. Orientadora e avaliadora de trabalhos de pós-graduação. Sócia Diretora da Arbache Innovtions, responsável pelas ações de Gestão de Pessoas, Liderança, Governança Corporativa, Sustentabilidade Ética, Social e Ambiental e Elaboração e Aplicação Jogos de Negócios. Pesquisadora e autora das obras: A Educação de Jovens e Adultos Numa Perspectiva Multicultural Crítica (2001), Projetos Sustentáveis Estudos e Práticas Brasileiras (2010), Projetos Sustentáveis: Estudos e Práticas Brasileiras II (2011), Sustentabilidade Empresarial no Brasil: Cenários e Projetos (2012), A crise e o impacto na carreira (2015), O RH Transformando a Gestão – Org. (2018). Certificação em Coaching e Mentoring de Carreira para Executivos. Mentora do Capítulo PMI/SP. Curadora e Colunista do blog arbache.com/blog e Página Mundo Melhor de Empoderamento Feminino Arbache innovations. Fundadora do Coletivo HubMulheres. Palestrante em encontros nacionais e internacionais.

Deixe seu comentário

Clique aqui para publicar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.