Coaching

O Equilíbrio Entre Vida Pessoal E Profissional É Factível?

equilíbrio

Marissa Mayer – CEO/Yahoo esquenta o debate em torno da “mulher perfeita”.

Fui mãe aos 17 anos e sempre vivi esse desafio de crescer, me profissionalizar, amadurecer e administrar todas essas mudanças positivas que a maternidade nos proporciona. Tenho a sorte de viver em um aépoca em que é possível a mulher buscar sua realização profissional e estamos vivenciando um momento feminino no mundo. [Depoimento escrito por Juliana Albanez – Profissão: Diretora executiva da Vox Educação Corporativa, In: arbache.blogspot.com. Acesso maio 2012].

“O grande desafio é não ficar com sentimento de culpa por não ter sido tão boa mãe como você imaginava que poderia ser, ou não ser tão boa esposa, ou mesmo não ter se dedicado à vida profissional como você gostaria de ter se dedicado, porque a vida pessoal exigiu muito de você. A minha lição aprendida é: Faça o seu melhor de acordo com o momento que estiver vivendo e relaxe, porque você está fazendo o certo.” [Depoimento escrito por Ana Helena Brandão – (filhos universitários de 24 e 19 anos que foram para o berçário com 4 meses de idade – 1 marido há 30 anos e uma vida profissional de 30 anos) – Profissão: PMP– Org., Processos e PMO – In: Arbache.blogspot. Acesso: maio 2012]

Ao ler o USA Today, no último dia 10 de outubro, deparei com uma reportagem que teve como recorrência, um tema importante na vida de mulheres que atuam no mercado de trabalho: É factível o equilíbrio entre a vida familiar e a vida profissional?

Esta temática, principalmente neste ano, ganhou destaque com o fato da executiva e uma das estrelas do Vale do Silício ser contrata pela Yahoo, estando no seu sexto mês de gravidez – com o cargo de CEO, Marissa Mayer assumiu o papel de liderar uma Empresa com grande significado no mercado o qual atua, envolvendo a demanda de uma performance de alto desempenho e responsabilidade. Tudo isto, concomitante com a primeira experiência de vivenciar a maternidades (prevista para outubro de 2012).

Para o mundo das executivas, Mayer pode se tornar a “mulher perfeita”, capaz de desmistificar discursos em torno do papel da mulher no mercado de trabalho. Muitas mães executivas esperam que a CEO possa mostrar para o mundo corporativo, que é possível ter sucesso neste cenário.

O que para ela será uma vivência inaugural, para muitas outras já é uma realidade. No entanto, a visibilidade que a mídia incide a respeito de seu caso, poderá favorecer novos direcionamentos e lições aprendidas no território dos negócios.

Atualmente, muitas empresas para reter seus talentos femininos, tem investido em politicas e práticas de gestão de pessoas capazes de dar suporte a este equilibro. Mulheres que hoje já podem alinhar seus horários de trabalho para participarem de reuniões e festinhas escolares de seus filhos, como também deixarem de trabalhar nos finais de semanas para vivenciarem a vida familiar.

As viagens de negócios e eventos corporativos ganham cronogramas programados na maioria dos casos e podem ser “acomodados” nas agendas femininas, possibilitando um maior gerenciamento de tempo e de pessoas que lhes possam dar suporte. Isto sem falar nas empresas que possuem creches e outros programas corporativos destinados à mulher trabalhadora.

Mayer assume neste ano, o maior papel que uma mulher pode assumir em sua vivência, que é o da  responsabilidade por uma vida! Este é um papel ético e muda qualquer perspectiva na vida de uma pessoa. Muitas mulheres, estrelas, ou não de suas companhias, fazem da maternidade ponto de alavanca para se posicionarem no mercado – mães trabalhadoras que, com seus respectivos salários, resguardam a vida digna de suas famílias e ao mesmo tempo, movimentam o mercado, ajudando a dar emprego a milhares de pessoas.

Vale a pena seguir acompanhando o caminho que a estrela do Vale do Silício irá percorrer nestes próximos anos, levando em consideração que, independente da atuação dela, muitas mulheres já enfrentam o mercado de trabalho dando factibilidade a este equilíbrio.

Saiba mais:

PADDISON, Daiana. Full-time CEO doesn’tequalpart-time mom. USA TODAY, 10 de outubro de 2012.

Leia também:

kÖRTING, Carolina Cunha. Indicação via PMBok® de melhorias que poderiam ser feitas nas empresas tendo como foco a relação de trabalho na gravidez e nos primeiros anos dos filhos e retenção de talentos femininos neste período. Trabalho de Conclusão de Curso. MBA Gestão Estratégica e Econômica de Projetos. Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, 2012.

Ana Paula Arbache

Ana Paula Arbache

Pós-doutora em Educação pela PUC/SP. Doutora em Educação pela PUC-SP. Mestre em Educação pela UFRJ. Certificada pelo Massachusetts Institute of Technology/MIT- Challenges of Leadership in Teams (2015), Leading Innovative Teams (2018). Docente dos cursos de MBA e Pós MBA da Fundação Getúlio Vargas. Orientadora e avaliadora de trabalhos de pós-graduação. Sócia Diretora da Arbache Innovtions, responsável pelas ações de Gestão de Pessoas, Liderança, Governança Corporativa, Sustentabilidade Ética, Social e Ambiental e Elaboração e Aplicação Jogos de Negócios. Pesquisadora e autora das obras: A Educação de Jovens e Adultos Numa Perspectiva Multicultural Crítica (2001), Projetos Sustentáveis Estudos e Práticas Brasileiras (2010), Projetos Sustentáveis: Estudos e Práticas Brasileiras II (2011), Sustentabilidade Empresarial no Brasil: Cenários e Projetos (2012), A crise e o impacto na carreira (2015), O RH Transformando a Gestão – Org. (2018). Certificação em Coaching e Mentoring de Carreira para Executivos. Mentora do Capítulo PMI/SP. Curadora e Colunista do blog arbache.com/blog e Página Mundo Melhor de Empoderamento Feminino Arbache innovations. Fundadora do Coletivo HubMulheres. Palestrante em encontros nacionais e internacionais.

Deixe seu comentário

Clique aqui para publicar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.