Ética

Meu Projeto Web: Parte 1 – Se Você É O Cliente, Você Não Está Pronto Para Um Projeto Na WEB. Seja Você Quem For

cliente

Prezado(a) leitor(a). Se esta coluna lhe chamou a atenção, é porque você tem, terá, ou já teve a incumbência de gerir um projeto. E são grandes as chances deste projeto incluir a Internet, tão presente nos dias de hoje. Se é este o seu caso, parabéns . Acomode-se,  relaxe e vamos começar. Este tema será apresentado em 4 partes, para não te cansar demais. Afinal, gerente de projeto não tem tempo de sobra, tem é trabalho de sobra.

Chocado? Se sim, não há o que fazer. Encare a triste realidade. Se você não é um profissional da área (qualquer área), você não poderá realizar um trabalho melhor do que aqueles que vivem e dependem disto como fonte de renda (assumindo um mínimo de competência geral, para equipararmos os casos).

Se você não está chocado, e concorda comigo, então já está no rumo certo. No entanto, é um caminho cheio de armadilhas, tentações e becos sem aparente saída, como veremos adiante neste artigo.

Não basta planejar e festejar o sucesso. Tem sempre o dia seguinte.

Projetos hoje, mais do que nunca, consistem na principal demanda da maioria das empresas, nos mais diversos segmentos. A raça humana administra projetos desde a antiguidade, e alguns, como as pirâmides, até que deram bons e duradouros resultados – mas não se deve olhar muito de perto, para não criar certa frustração; neste caso, mesmo as pirâmides andam um pouco desgastadas, como se ninguém estivesse cuidando delas faz tempo. Não é um absurdo?

Algumas dúvidas ocorrem: a quem dar crédito pelos bons resultados IMEDIATOS obtidos? Seria em função dos FORNECEDORES, ou dos CLIENTES destes projetos? Qual a MÉTRICA de medição deste sucesso? Os sucessos de ONTEM ainda são HOJE assim considerados, com a mesma clareza?

Um projeto, por definição, possui começo, meio e fim. Quer dizer, para o gestor do projeto. Porque o cliente, este tem que conviver com o “entregável”, e tirar algum proveito deste investimento. Será que foi previsto como orientar o cliente no uso/administração/manutenção do entregável, para garantir a sustentabilidade dos ganhos obtidos? Quais são as métricas para se avaliar esta manutenção, seriam as mesmas usadas durante o projeto original? Muito poucas empresas conseguem ver além dos horizontes de um projeto. E não espere que o cliente peça isso. Sua participação no projeto original já começa antes mesmo de ele ser iniciado, e nem sempre da melhor maneira.

Em nosso próximo artigo desta coluna, vamos comentar um pouco mais a respeito da COMUNICAÇÃO na gestão de projetos!

Mathias Carvalho

Mathias Carvalho

Especialista em mídia digital, desde 1997 trabalhando com planejamento estratégico e gerenciamento de projetos digitais. Professor no MBA em Ger. de Projetos FGV. Doutorando na Rennes SB/FRA, focado em jogos sérios. Mestrado em Marketing Internacional pela UNLP/ARG; MBA em Gerenciamento de Projetos e CEAG pela FGV. Certificados PMP, PRINCE2 e SFC.

Deixe seu comentário

Clique aqui para publicar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.