Jogos de Negócios

Jogos São Estratégia Nas Seleções Para Trainees

treainees

Colaboração de Raquel Bocato

Os processos de seleção de estagiários e trainees, que no passado se restringiam a etapas como entrevistas e dinâmicas de grupo, estão mais sofisticados. Até jogos entraram nas fases da disputa.

Preocupada com o pouco tempo das dinâmicas e com o nervosismo de muitos profissionais nas entrevistas, a L’Oréal criou o Brandstorm, game em que universitários são desafiados a criar produto e projeto de marketing para uma das marcas do grupo.

Para isso, eles precisam pesquisar o perfil da empresa e da marca e fazer estudo de caso. Os finalistas disputam a chance de representar o Brasil na França durante a etapa internacional do jogo.

O objetivo, segundo o diretor de RH da L’Oréal, Marco Dalpozzo, é tornar o recrutamento mais interessante para os jovens, que buscam desafios. “Até o momento, 50 pessoas foram contratadas pela empresa [desde 2004] após participarem do jogo, somente no Brasil.”

A estudante de comunicação social Stephanie Yadid, 22, integrante da equipe vencedora da etapa nacional de 2010, ganhou uma vaga de estágio na L’Oréal Brasil.

“Foi muito emocionante representar meu país em Paris, porque toda a apresentação foi em inglês. Exigiu treinamento e várias exposições, mas foi divertido.”

A consultoria KPMG no Brasil também entrou em torneio internacional para selecionar profissionais. Batizado de KPMG International Case Competition, o programa tem oito anos de existência – a primeira participação brasileira foi neste ano.

Os quatro jovens com melhor desempenho entre os 6.000 inscritos no processo de seleção de trainees representaram o país em um torneio realizado na Turquia.

“O objetivo foi fazer um programa diferenciado de seleção em termos de mercado, uma campanha atrativa, com possibilidade de exposição internacional logo que [os jovens] chegam [à empresa]”, diz a diretora Adriana Zanni.

Para a coordenadora da Across Elisabeth Pelay, opções que começam a ganhar respaldo no mercado são etapas on-line e exposição em uma comunidade criada para a seleção, com blogs, vídeos, comunidades, fóruns e promoção de atividades.

“A interação é muito maior. Os candidatos conhecem a empresa a fundo e são melhor avaliados”, considera.
O interesse à vaga também é mensurado, já que as atividades propostas demandam tempo para sua realização.