Sustentabilidade

High Line: O Gerenciamento de Legado Em Plena Manhattan – Uma Antiga Linha de Trem, a Serviço da Qualidade de Vida da População

manhattan

Profa. Dra. Ana Paula Arbache

 

o discurso em torno da palavra, o que fica de principal, nas diferentes fontes pesquisadas, é a frase a seguir:

O que é, herança ou onus, transmitido a outrem da mesma geração, ou futuras. Resumidamente, é deixar algo de valor, ou não, para a outra pessoa.

Atualmente, este tema ganha uma dimensão mais ampla, pois muito se discute a respeito do que a nossa geração, deixará de “legado” para as futuras gerações. Este pensamento está pertinente com as diretrizes do desenvolvimento sustentável, nos tornando responsáveis pelo ambiente que habitamos,  ou seja, fazendo um uso consciente daquilo que dispomos do planeta.

As empresas, atreladas aos documentos globais, voltados para a temática do desenvolvimento sustentável procuram entender, cada vez mais, seus processos produtivos, os ciclos de vida de seus produtos e, qual o impacto que as suas atividades deixarão de legado para o futuro. O importante é que, passou-se a refletir, pesquisar e inovar, para oferecer novas práticas e processos produtivos mais amigáveis ao meio ambiente.

Desta maneira, considerando cuidadosamente a difícil, mas não impossível, união entre o crescimento econômico e o desenvolvimento sustentável. Pois bem, empresas hoje aprendem que, para crescerem e terem perenidade no mercado é preciso ir além do negócios propriamente dito. As diretrizes apresentadas na ISO 26000, de responsabilidade social, apontam para um alargamento das responsabilidades das empresas, bem como para uma nova forma de se relacionar com os diferentes públicos interessados (ou partes interessadas). O que também está em pauta é um  olhar para  governança corporativa,  a partir de valores que possam positivar a  reputação da empresa,frente a sociedade que atua. .

O High line Park é um parque  elevado público em plena Manhattan, particularmente localizado nas redondezas do  Chelsea. Onde era uma antiga linha de trem abandonada nos anos 80, a Associação Friens of High Line abrigou o parque e trouxe para os habitantes e visitantes de Manhattan, mais uma opção de lazer e cultura. A Associação abraçou a revitalização do espaço e responde também, pela manutenção do mesmo. O antigo se tornou novo e deu uma outra perspectiva a linha de trem – entre plantas, flores, tábuas corridas, bancos e espreguiçadeiras, as pessoas caminham, leem, ouvem música, apreciam a paisagem e, curtem a arquibancada com vidros panorâmicos para a avenida abaixo da High Line. O que vemos neste parque é a possibilidade de  “virar a chave”,  para que o legado possa ser positivo e servir ás novas gerações.

Então fica a sugestão, entre 7:00 e 20:00 a High Line fica aberta e está localizada na Gansevoort Street e pelas ruas 14h e 16h. Dica de quem já visitou o local, vá com tempo e um bom livro, não tenha pressa, a paisagem é linda!