Ética Sustentabilidade

Crowdfunding e a Iniciativa dos Jovens Empreendedores Para o Terceiro Setor

terceiro

Na semana passada, conheci dois jovens empreendedores dos quais gostaria de falar este mês por ser um momento importante para eles. Na passada segunda-feira ( dia 8 ) lançaram oficialmente um projeto muito interessante e que tem tudo para compensar as horas de sono perdidas nos últimoa meses. Para comemorar esta etapa, resolvi entrevistar a Marcela e o Rafaat, dois estudantes universitários de 21 e 23 anos, e dar a conhecer ao leitor o projeto kolmea.

 

Filipa: Como é que dois jovens estudantes como vocês iniciaram essa aventura?

Marcela: Tudo começou depois de uma palestra sobre crowdfunding* que assisti. Cheguei em casa entusiasmada com o financiamento colaborativo e, conversando com o Rafaat, nós começamos a pesquisar mais sobre o assunto. Na época, eu fazia parte de um grupo de alunos que estava fazendo o primeiro relatório de sustentabilidade da minha faculdade e, por isso, estava bastante envolvida com o tema. Foi pesquisando que vimos que nenhum site no Brasil tinha seu foco voltado para iniciativas sustentáveis e aí, o surgiu a ideia: Criar uma plataforma que ajudasse pessoas que também gostam de sustentabilidade a, enfim, tirarem ideias do papel com a ajuda de outras pessoas que também são envolvidas com isso, e o melhor, de uma forma descomplicada! Por que não incentivar as pessoas a enxergarem a sustentabilidade como uma oportunidade e não apenas um assunto chato?

Rafaat: Foi nessa hora que enxergamos que tínhamos a chance de multiplicar os impactos positivos e, ainda, incentivar outras pessoas a se envolverem e conhecerem melhor o que é a sustentabilidade e o que ela agrega para o mundo. Nesse momento surgiu a ideia daquilo que hoje é kolmea. Decidimos que iríamos promover a sustentabilidade e fazer o bem. Mesmo dentro da faculdade, eu resolvi sair do meu emprego para me dedicar somente a isso. Na época, faltava um ano para eu me formar. Seis meses se passaram e não me arrependo nem um pouco de ter saído do trabalho para empreender.

 

F.: O que é a kolmea e que diferencial trará para o Terceiro Setor, enquanto estratégia de crowdfunding?

M.: Nós sempre procuramos dizer que atitudes pequenas podem ser responsáveis por grandes impactos e que a vontade é a força que move o homem. Este é o pilar da kolmea. De forma bem resumida o Financiamento Coletivo funciona da seguinte maneira: Você tem um projeto, mas não possui recursos financeiros para fazê-lo acontecer. Do outro lado da história, várias pessoas gostam de sua ideia, mas sozinhas não seriam capazes de financiar esse projeto. As plataformas de crowdfunding posicionam-se como o elo entre estes dois grupos de pessoas.

R.: O principal diferencial da kolmea é a facilidade de fazer projetos saírem do papel. Hoje a burocracia dos editais atrapalha muito, além de ter que envolver muita política no meio. O crowdfunding é mais simples de montar. No caso da kolmea, basta você ter um projeto com uma causa coletiva que promova o bem e promova a sustentabilidade, em pelo menos um dos seus três pilares; recompensas que serão dadas em troca dos apoios financeiros, um vídeo para explicar o projeto e o porque ele merece aquele apoio. O último quesito é trabalhar sua rede de contatos. Não quer dizer que é fácil, depende muito da mobilização do idealizador, mas o crowdfunding entrega o poder de decisão, se o projeto sai do papel ou não do papel, para a multidão, por meio da internet.

 

F.: O que as pessoas devem esperar do site da kolmea?

M.: A kolmea busca projetos que tenham o intuito de promover a sustentabilidade, independente da área e do modo como será feito. O Plant.ai, o primeiro projeto a se cadastrar em nossa plataforma, por exemplo, procura financiar um aplicativo que promove o reflorestamento virtual e real de árvores. Mas não temos uma fórmula fechada com um modelo a ser seguido. Também aceitamos projetos para a criação de produtos sustentáveis que precisam de um apoio para saírem do papel ou a viabilização de um livro/estudo sobre temas que abordem a sustentabilidade. O que queremos é promover a sustentabilidade nos seus três pilares – o social, o ambiental e o econômico – e estamos sempre abertos para novos projetos.

R.: O ideal é que os projetos tenham uma causa coletiva e que sejam autossustentáveis. Além disso, estamos sempre buscando parceiros para contribuir mais para os apoiadores, como o Coletivo Verde, uma empresa de camisetas de algodão orgânico que em breve estará produzindo camisetas da kolmea. Temos também a Green Tee, que usa do mesmo sistema de produção e para toda camiseta criada, uma camiseta gêmea em tamanho infantil é doada para uma criança carente.

 

F.: Como vocês vêem o vosso projeto daqui a 5 anos?

R.: A kolmea nasceu para promover a sustentabilidade e, mesmo que a curtos passos, mudar a forma de pensar e agir de milhares de pessoas. E, nosso sonho é tornarmos a kolmea em centro de referência na área de sustentabilidade, tanto para investidores encontrarem grandes projetos, como para idealizadores encontrem ajuda especializada para desenvolver suas ideias. Para isso, queremos fazer com que o impacto dos projetos que passam por nossa plataforma sejam percebidos da melhor forma possível, de tal maneira que, cada projeto atinja o máximo do seu potencial. Junto a isso, também criamos um blog para falarmos sobre temas envolvidos no universo em que a kolmea está inserida e falar também sobre o que ocorre na plataforma. Pensamos, também em criar um prêmio a cada ano, começando por 2014, com os melhores projetos financiados naquele ano por nossa plataforma, através de métricas que criaremos para analisar os benefícios e impactos causados por cada iniciativa. Há muito trabalho pela frente!

 

F.: A kolmea pretende trabalhar com projetos que tenham uma causa coletiva e que sejam autosustentáveis. Nesse sentido, como vocês enxergam o Terceiro Setor no Brasil e que direção vocês pensam que deveria tomar?

R.: Conversando com os nossos parceiros sobre o que acontece hoje no mundo das ONGs, vimos que a burocratização está tornando cada vez mais difícil conseguir o financiamento. Além disso, notamos que o sistema com base em doação torna as ONGs não sustentáveis economicamente. Acreditamos que essa área vai começar a se profissionalizar e se tornar em empresas, que geram lucro, porém a diferença é que o lucro é reinvestido nas ONGs. É possível sim, fazer um negócio socialmente responsável e que gere lucros para ele mesmo. Mas para dar o primeiro passo, é preciso financiar o início dessas operações, e aí entra o financiamento colaborativo, que vai ajudar essas instituições/associações a conseguir dinheiro.

 

F.: Qual a importância que os jovens poderão ter nesse contexto?

M.: Os jovens de hoje serão os futuros motores da sociedade e temos visto uma mudança geral no comportamento da nossa geração. Estamos mais preocupados com o planeta, com as atitudes que tomamos e com as possíveis consequências delas. Por isso, sabemos que é importante começarmos a mudar nossos hábitos e pensamentos desde já. Talvez isso seja o motor de tudo. Somos uma geração de inquietos e não conseguimos simplesmente ver um problema e não enfrentá-lo. Temos força de vontade e um tempo enorme pela frente para lutarmos por nosso ideais.

R.: A internet é o maior motor da mudança que vemos em todos os lugares: Egito, Brasil, Europa… Tudo fica mais rápido, acessível, flexível por meio da internet e não tem como negar que quem domina esse novo mundo são os jovens. Nós fazemos tudo acontecer dentro da internet, estes jovens, onde eu e a Marcela nos incluímos, estão com o poder de fazer a diferença. Nada mais fácil que ter uma ferramenta tão simples de usar que possibilita tantas coisas. A kolmea e o sistema de financiamento colaborativo, por estarem na internet, tornam o acesso ao catalizador da mudança mais fácil. O poder está na mão da multidão, de cada um de nós, jovens, velhos não importa.

 

F.: Que benefícios irão encontras as organizações do terceiro Setor em vossa plataforma?

M.: Os editais estão cada vez mais complicados de serem feitos e existe muita “panela” e sistemas que beneficiam quem já está dentro do sistema. Por isso, fazer com que projetos que realmente vão fazer a diferença saiam do papel é difícil. Colocar um projeto na kolmea não vai tornar tudo fácil, tem muito trabalho de mobilização, networking e divulgação do produto/projeto. Mas o mais importante mesmo, é a vontade e determinação do idealizador. A campanha dele dentro da kolmea vai ser como uma propaganda da ideia do projeto e as pessoas vão comprar essa ideia, por isso contamos com o vídeo e causa coletiva, tudo isso deve fazer sentido para o apoiador. Em nossos estudos e pesquisas, chegamos a uma conclusão: a kolmea e o relacionamento com os idealizadores está para os pontos de vendas de produtos e os fabricantes. Indo um pouco mais além na explicação, definimos que a kolmea seria o ponto de venda, assim devemos desenvolver estratégias para criar mais usuários e mantermos eles com ofertas e bons projetos; já os idealizadores são os fabricantes, os quais devem desenhar bons projetos e saber comunicá-los muito bem, para que eles entrem na kolmea e “comprem” os projetos.

O site da komea foi lançado no passado dia 8 de julho e pode ser visitado em: www.kolmea.me.

Outros links da kolmea:
Blog: www.kolmea.me/blog
F.A.Q. kolmea: https://kolmea.uservoice.com/knowledgebase
Vídeo de divulgação da kolmea: http://vimeo.com/66751828

* Crowdfunding – Financiamento Coletivo: estratégia de captação de recursos financeiros, baseada no esforço coletivo de indivíduos para apoiar os esforços iniciados por outras pessoas ou organizações.

Saiba mais: http://en.wikipedia.org/wiki/Crowdfunding