Estratégia

Como a Tecnologia Digital Transforma os Negócios?

tecnologia digital

As grandes questões como as sucessivas crises financeiras, as dívidas públicas dos países, a globalização, a distribuição da renda, as guerras, a organização dos blocos econômicos e as mudanças no perfil sociodemográfico sempre foram, e continuam sendo, temas de grande interesse dos mercados e causadores de preocupação para as empresas. Todas elas são grandes questões, porém a tecnologia está acima delas, afirmam Westerman, Bonnet e McAffe (2016). Sua importância é maior, pois os recentes avanços do mundo digital estão eliminando barreiras geográficas, até mesmo legais, e criando novas e inimagináveis possibilidades que afetam a vida das pessoas e a estratégia das empresas, consequentemente, o relacionamento entre cliente e corporações.

Você quer que seus clientes tenham voz própria e deseja sair da visão limitada das pesquisas de opinião tradicionais? As mídias sociais são o caminho real. Quer fazer de sua empresa uma equipe disponível, produtiva e alinhada, não importando a sua dispersão geográfica? A computação móvel é a resposta real. Deseja previsões, análises, e decisões melhores sobre seus produtos, clientes e mercados? O big data é a solução. Saiba que essas tecnologias combinadas adequadamente possibilitam organizações ágeis, adaptativas e flexíveis, capazes de apresentar respostas em tempo real às demandas do mercado e com clientes interativos e no centro da estratégia.

__________________________________

Você quer que seus clientes tenham voz própria e deseja sair da visão limitada das pesquisas de opinião tradicionais? As mídias sociais são o caminho real

__________________________________

Há muito tempo, a tecnologia vem ditando o ritmo das organizações; entretanto, nos últimos anos isso se acentuou. A primeira década dos anos 2000, foi marcada pelo avanço das tecnologias digitais. Surgiu o termo Web 2.0, que significa a grande democratização na criação de conteúdo para Internet. O surgimento do Facebook, Twitter, Wikipédia e outros aplicativos confirmam isso. O lançamento do iPhone, em 2007 e o iPad, em 2010, pela Apple, consolidou a computação móvel, desbancando a hegemonia da rígida cultura do desktop, dispositivo preferido, até então, pelos trabalhadores do conhecimento e tornou realidade a era dos smatphones e dos tablets.

Esses avanços tecnológicos têm provocado enormes impactos na vida das pessoas e na forma de organização do trabalho. Da mesma forma, a computação em nuvem está impactando o data center, colocando em cheque o pressuposto básico de que a empresa necessita manter em sua propriedade servidores, aplicativos e sistemas operacionais. Essas e tantas outras inovações combinadas criaram oportunidades para o surgimento de inovações como os supercomputadores, a internet das coisas (máquinas que interagem com máquinas) os automóveis autodirigidos, os Analytics Systems e tantos outros que desafiam nossa imaginação, definindo uma nova ordem econômica denominada economia colaborativa, sustentada pela maior eficiência do capital, redução dos custos operacionais e ganho de competitividade.

__________________________________

Os avanços tecnológicos têm provocado enormes impactos na vida das pessoas e na forma de organização do trabalho

__________________________________

Inegavelmente, as novas tecnologias estão redefinindo antigos conceitos como:
tempo de resposta ao cliente, tudo precisa ser mais imediato, mais preciso e com conteúdo de maior valor. Lembre-se que os concorrentes estão mais velozes e mais bem preparados para responder às demandas do cliente e, esses por sua vez, mais exigentes;
relacionamento com stakeholders, todos estão mais bem informados e mais preparados para defesa de seus interesses. Restringindo-nos ao cliente, esse, demanda mais interatividade, conveniência, personalização e cogestão do negócio;
valor do cliente, a democratização dos meios de informação possibilita ao cliente maior alcance e busca pela oferta concorrente; isso não só muda a dimensão do valor como determina sua obsolescência numa brevidade incomparavelmente maior.
gestão de custos, na economia colaborativa os investimentos e os custos operacionais assumem dimensões expressivamente inferiores, isso determina maior amplitude da oferta de produtos e serviços, com melhor qualidade e preços mais competitivos.
gestão de talentos, a nova economia desafia variáveis como estruturas organizacionais tradicionais, custos trabalhistas e relação entre pessoas, máquinas e tecnologia. Ofereça às pessoas razões outras além da remuneração, como possibilidades de desenvolvimento, desafio ao talento e cultura inovadora na construção do futuro, para que elas se sintam integrantes e agentes ativos de uma empresa desejada pela sociedade, encontrando, assim, suas realizações pessoais e profissionais.

Segundo, o exposto até aqui, a pergunta inquietante é – como devo preparar minha organização para a competição na era digital

1) Comece construído uma visão de futuro, compartilhada por todos, que seja ampla, desafiadora, positiva e inspiradora, capaz de iluminar as ações do presente, projetando o futuro.

2) Identifique os possíveis ativos estratégicos (recursos e capacidades) capazes de responder à nova economia. O modelo de Duane (2014) define que os ativos estratégicos precisam ser VRIN – Valiosos, Raros, Inimitáveis e Não substituíveis, caso contrário, algum concorrente encontrará uma maneira de fazer aquilo que sua empresa faz, porém, melhor e a custo mais baixo. Reunindo esses ativos o Walmart, por exemplo, oferta preços que seus concorrentes não conseguem imitar. Da mesma forma, com outro posicionamento, a Gillette, oferta a lâmina de barbear mais cara do mundo e detém a maior participação desse mercado.

3) Identifique claramente seus clientes. Entenda seus pontos de valor e organize-se para atendê-los.

4) Capacite seus talentos às inovações tecnológicas e conhecimentos necessários à novas regras da competição.

5) Lidere sua equipe orientando-a constantemente para o valor dos seus clientes e monitoramento às ações da concorrência, motivando-a à busca do futuro planejado, e boa sorte.

Referência Bibliográfica

DUANE, I. Administração estratégica. São Paulo: Cengage Learning, 2014.

MARCONDES. O. O poder de uma visão inspiradora: como o futuro ilumina o presente das organizações. São Paulo: HSM do Brasil, 2015.

WESTERMAN, G.; BOMMET, D.; McAFFE, A. Liderando na era digital: como utilizar tecnologia para transformação de seus negócios. São Paulo: M. Books do Brasil Editora, 2016.