Empreendedorismo e Inovação Sustentabilidade

Bem-vindos à Suécia: Um País Exportador de Inovação Tecnológica e Soluções Ambientais – Casos de Empresas e Ações Governamentais Que Favorecem Esta Vocação

Nosso blog, a partir de outubro, será dedicado a apresentar nossos trabalhos e impressões advindos da visita à Suécia, a convite do Swedish Trade Council, realizada em setembro passado. Também apresentará a visita recente realizada à Alemanha – Munich, particularmente a uma empresa de tratamento de água e soluções ambientais.

Impressões: Suécia

Como escrevemos no texto “Passo a Passo 2: sustentabilidade ética, social, ambiental e financeira”, a Suécia chama a atenção dos interessados no tema, pois sua capital, Estocolmo, foi eleita a Primeira Capital Verde da Europa, em 2010, por uma Projeto lançado pela Comissão Europeia que distingue, anualmente, uma cidade pelo seu desempenho ambiental.

Para entendermos o porquê dessa distinção, é importante conhecermos um pouco deste país nórdico, localizado na Península Escandinava, na Europa Setentrional. A Suécia divide fronteiras terrestres com a Noruega, a oeste, e com a Finlândia, a nordeste, além de estar ligada à Dinamarca através da Ponte do Öresund, no sul. A Suécia tem uma população de cerca de 9 milhões de habitantes, sendo que sua maioria está concentrada nas áreas urbanas (85%).

O regime de governo é a monarquia constitucional parlamentarista, cujo chefe de estado é o Rei Carl XVI Gustaf, Gustavo da Suécia, e a Rainha é Sílvia Renate Sommerlath, cuja mãe é brasileira.  A herdeira da monarquia sueca é Vitória, Princesa Herdeira, Duquesa de Västergötland que nasceu em Estocolmo, no dia 14 de julho de 1977. A Suécia, como um país que prega a igualdade entre as pessoas, não diferindo credo, raça, cor ou sexo, sente-se orgulhoso de ter uma herdeira para o seu trono. Diversas empresárias manifestaram o orgulho de o Brasil ser comandado por uma mulher, o que demonstra a percepção da importância do direto feminino naquele país.

O Reino da Suécia possui uma economia altamente desenvolvida. O país ocupa o primeiro lugar no mundo no Índice de Democracia, publicado pela The Economist, e o sétimo lugar em Índice de Desenvolvimento Humanos (IDH) pela ONU.

Estocolmo: Capital Verde da Europa/2010

Escrever a respeito de Estocolmo é reconhecer que somente as palavras não dão conta de descrever os maravilhosos cenários com os quais nos deparamos. A cidade é um convite às memórias infantis que nos colocam dentro de um verdadeiro conto de fadas. Dona de paisagens urbanas fascinantes, Estocolmo possui construções históricas belíssimas erguidas em um labirinto de pequenas ilhas e enseadas envolto pelo mar Báltico. As ruas, que parecem pinturas, esbarram em embarcações sobre o mar Báltico construindo paisagens de cartão postal.

Estocolmo é um ponto de sutura entre o que a humanidade construiu e o que é capaz de construir para sobreviver em tempos de mudanças climáticas. O interessante na descrição de uma cidade como esta é a possibilidade de vivenciar dois mundos paralelos – a antiguidade e a modernidade -, mas em constante diálogo. Esta talvez seja a chave identitária de uma cidade que sobrevive e vive de uma constante busca pela harmonia entre evolução tecnológica e o desenvolvimento sustentável.

A distinção de ser a Primeira Capital Verde ocorreu pelo desempenho ambiental apresentado pela cidade em 2010. A boa compatibilização entre urbanismo e meio ambiente faz de Estocolmo uma cidade capaz de gerar lições que deverão ser aprendidas por grande parte do mundo, principalmente por aqueles países coadunados com as políticas e práticas de desenvolvimento sustentável.

É tarefa fácil elencar uma série de ações que já fazem parte do cotidiano desta cidade que é abastecida por uma ampla cobertura de ciclovias, possui um bairro 100% autossustentável, reutiliza água, transforma luz solar em energia e o esgoto em biogás. O governo estimula empresas para tornarem seus processos produtivos mais limpos e motiva os motoristas a utilizarem uma frota “verde”, cujo etanol é importado do Brasil (cerca de 40% do etanol exportado do Brasil para a Europa é consumido na Suécia – http://www.ruralcentro.com.br/noticias/5395/alcool-suecia-deve-importar-400-milhoes-de-litros-do-brasil-em-2008). No decorrer dos próximos meses serão descritas uma série de boas práticas vividas pelas empresas suecas visitadas que podem ser apropriadas, com as suas devidas acomodações, no ambiente brasileiro. A Suécia é um país que exporta soluções ambientais e utiliza de conhecimento e pesquisa, tecnologia de ponta, inovação e investimentos para concretizar, desde já, aquilo que ainda estamos procurando entender!

Sujeitos Entrevistados Local
SAAB – Parque Industrial
Mr.Carl Johan Koivisto – Director Strategy and Development Linköping / Suécia
SAAB – Corporativo
Mr. Pontus de Laval – Vice President – Chief Tecnology Office – Group Strategy e Mrs. Anne Gynnerstedt – Group Senior Vice President – General Counsel and Secretary Stokholm/Suécia
Scania
Mr. Gunnar Boman – Senior Advisor Corporate Relations Södertälje/ Suécia
Ministry for Foreign Affair – International  TradePolicy Departament – Swedish Partnership for Global Responsibility
Mrs.Lisa Emelia Svensson – Ambassador Stokholm/Suécia
Swedish Standards Institute – SIS
Mrs. Kristina Sandberg – Secretery ISO/TMB WG Social Responsibility – ISO 26000 – Mr. Bengt Rydstedt – Project Manager Stokholm/Suécia
Skanska
Mrs.Eva-Lena Carlén-Johansson – Manager Sustainability Projects -Mr. Jonas Gräslund – Technical Director Stokholm/Suécia
Trossa Guides for Goods
Mrs.Mia Barkland – President – Mrs.Desiré Haglund Stokholm / Suécia
Lindholmen Science Park AB
Mr.Niklas Wahlberg – CEO Göterborg/ Suécia
Ekosofia
Mr.Magnus Ruberg – President – Mr.Björn Svensby Göterborg/ Suécia
Meri
Mr. Lucas Menke – Dipl. -Ing München/ Alemanha
Ana Paula Arbache

Ana Paula Arbache

Pós-doutora em Educação pela PUC/SP. Doutora em Educação pela PUC-SP. Mestre em Educação pela UFRJ. Certificada pelo Massachusetts Institute of Technology/MIT- Challenges of Leadership in Teams (2015), Leading Innovative Teams (2018). Docente dos cursos de MBA e Pós MBA da Fundação Getúlio Vargas. Orientadora e avaliadora de trabalhos de pós-graduação. Sócia Diretora da Arbache Innovtions, responsável pelas ações de Gestão de Pessoas, Liderança, Governança Corporativa, Sustentabilidade Ética, Social e Ambiental e Elaboração e Aplicação Jogos de Negócios. Pesquisadora e autora das obras: A Educação de Jovens e Adultos Numa Perspectiva Multicultural Crítica (2001), Projetos Sustentáveis Estudos e Práticas Brasileiras (2010), Projetos Sustentáveis: Estudos e Práticas Brasileiras II (2011), Sustentabilidade Empresarial no Brasil: Cenários e Projetos (2012), A crise e o impacto na carreira (2015), O RH Transformando a Gestão – Org. (2018). Certificação em Coaching e Mentoring de Carreira para Executivos. Mentora do Capítulo PMI/SP. Curadora e Colunista do blog arbache.com/blog e Página Mundo Melhor de Empoderamento Feminino Arbache innovations. Fundadora do Coletivo HubMulheres. Palestrante em encontros nacionais e internacionais.

1 Comentário

Clique aqui para publicar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • Sem dúvidas, a Suécia é um exemplo de país em muitos, se não em todos, os aspectos! Eu como cidadã brasileira fico impressionada com o tamanho da importância de investir em pesquisa e desenvolvimento para os suecos. Brilhante!